Urgências assistiram 94 pessoas

O diretor do Serviço de Urgência do Hospital do Funchal Dr. Nélio Mendonça, Pedro Ramos, revelou hoje que desde quarta-feira foram assistidas 94 pessoas devido aos incêndios que fustigam a Madeira, estre as quais 14 bombeiros e cinco crianças

Na sequencia do grande incêndio ocorrido na zona do Palheiro Ferreiro, na cidade do Funchal, foi ativado às 22 horas de quarta-feira o "Nível 1 de Catástrofe", no Hospital do Funchal Dr. Nélio Mendonça.

Entre as 18:00 horas de quinta-feira e as 09:00 horas de hoje foram recebidas 52 pessoas, tendo sido registado o primeiro caso de uma pessoa afetada por queimaduras de primeiro e segundo grau.

"Tivemos três doentes já com situações de queimaduras de primeiro e segundo grau, simples, fáceis de tratar com uma evolução curta e que não têm necessidade de internamento", revelou o médico.

Há um caso de uma queda de um bombeiro que ficou internado mas que "também não inspira cuidados e precisa fazer repouso", assim como "uma outra situação mais grave mas também controlável que foi uma intoxicação pelo fumo mais acentuado com monóxido carbono".

Segundo Pedro Ramos, as pessoas que têm sido assistidas atravessam todos os escalões etários e as razões pelas quais têm acorrido ao hospital incidem sobretudo em problemas respiratórios e oculares devido à inalação e a um contacto prolongado com o fumo.

A Região Autónoma da Madeira tem vindo a ser afetada por incêndios florestais desde terça-feira em várias zonas do seu território com particular incidência nos concelhos da Calheta, Funchal, Santa Cruz e Porto Moniz, causando destruição florestal, culturas e em algumas habitações.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG