União pelo Sto. António após três tentativas

(Com vídeo) Casamentos de Santo António. Casal conhece-se há nove anos e partilha casa há sete. Noiva acredita que nunca esquecerá tudo o que tem vivido e o dia da boda.

Margarida Ramos e Hugo Canário poderiam resumir a sua participação nos Casamentos de Santo António a dois ditados populares: "Não há duas sem três" e "À terceira é de vez". Após duas tentativas falhadas, o casal foi este ano selecionado para ser protagonista de uma "tradição" com "valor cultural para a cidade de Lisboa". "Tínhamos esse sonho", sintetiza o noivo.

Os lisboetas conheceram-se em 2005 quando estavam nas Portas do Sol com um grupo de amigos em comum. Então, foram os olhos de Margarida que chamaram a atenção do motorista, mais tarde seria a sinceridade dela a conquistá-lo. Ele, garante a administrativa, é divertido, romântico... e demasiado calmo. A prová-lo, o dia em que, no início do namoro, foram passear a um centro comercial e ele destruiu o guarda-lamas no parque de estacionamento. Margarida quase nem queria acreditar quando Hugo se limitou a arrumar a peça e a arrancar.

A relação resistiria ao episódio e há sete anos que o casal partilha casa. O enlace vai decorrer no civil, mas nem por isso os apaixonados de 28 e 35 anos sentem que a sua cerimónia seja menor. "É igualmente importante", dizem, sublinhando que estão a adorar a experiência.

A administrativa elege a prova do vestido como o momento mais marcante até agora. "Parecia uma princesa do país das maravilhas", descreve, ao lembrar a ocasião em que se viu vestida de branco pela primeira vez. Não é, por isso, de estranhar que as expectativas do casal para o próximo dia 12 sejam elevadas. "Nem quando tiver Alzheimer vou esquecer-me disto", prevê Margarida, sonhadora.

Exclusivos