Um quarto dos dadores de sangue foram novos dadores

Um quarto dos dadores de sangue, inscritos em 2012, foram-no pela primeira vez e mais de um terço desses dadores tinham menos de 34 anos, divulgou hoje o Instituto Português do Sangue e da Transplantação (IPST).

Estes números, de acordo com o IPST, apontam para um aumento de novos e de mais jovens dadores.

Em 2012, houve 186.032 dadores inscritos (número inferior ao das dádivas, pois alguns dadores dão sangue mais do que uma vez), dos quais 65.765 (35%) tinham menos de 34 anos.

Entre os 18 e os 24 anos, foram 22.802 os inscritos, ao passo que, nas faixas etárias entre os 25 e os 34 anos, se registaram 42.963 inscrições.

Do total, 45.675 foram novos dadores (25%), apontam os dados do IPST.

Num balanço feito em setembro do ano passado, o IPST revelou que, em 2011, os novos dadores representavam 12,8% do total.

O presidente do IPST, Helder Trindade, também revelou hoje que as colheitas de sangue feitas até final do passado mês de maio aumentaram 5%, face ao período homólogo, ultrapassando as 89 mil unidades.

Segundo o responsável, em 2012 foram produzidas 351.397 unidades de sangue, uma média diária de 962 unidades, das quais 60% correspondem às colheitas do IPST (210.882 unidades).

Assim, até ao final de maio deste ano, o IPST esperava ter aproximadamente 86 mil unidades colhidas, mas esse valor ascendeu aos 89.536, o que representa um aumento de cerca de 5% face ao mesmo período do ano anterior.

Este aumento é explicado com o aumento do número de brigadas no terreno.

Ainda de acordo com Helder Trindade, ao início da manhã de hoje, o país tinha em reserva 15.696 unidades, das quais 9.600 estavam na reserva do IPST.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG