Um mês de férias escolares no verão? Na Europa só na Suíça isso é possível

Diretores sugerem miniférias para os alunos no outono. Pais querem encurtar as do verão. Europa dá mais razão aos primeiros.

Os diretores querem que os alunos tenham uma pausa de dois dias no outono. As associações de pais não só discordam como até defendem que as férias de verão deveriam ser encurtadas, dos atuais cerca de dois meses e meio para apenas um. Quem tem razão? Se o critério forem os exemplos de outros países europeus, são claramente os responsáveis das escolas.

De acordo com o relatório "Organização do Tempo Escolar na Europa 2013-14", da União Europeia, as férias de verão continuam a poder chamar-se de "grandes" em praticamente todo o continente. Em alguns países - como a Dinamarca, a Alemanha e o Reino Unido - a duração pode não ultrapassar o mês e meio. Mas há apenas um caso em que o mínimo previsto é de um mês: a Suíça. E mesmo naquele país a interrupção pode prolongar-se por dois meses.

Já as chamadas miniférias de outono, propostas ontem pelo Conselho das Escolas - um órgão consultivo do Ministério da Educação que representa dos diretores -, são a regra na esmagadora maioria dos casos. Entre 38 modelos de organização dos calendários escolares analisados no mesmo relatório (incluindo três variantes, tanto no Reino Unido como na Bélgica), há 29 que contemplam uma pausa a meio do primeiro período.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG