UE aprova diploma para a inclusão dos ciganos

Os 28 Estados membros da União Europeia acabaram de se comprometer a aplicar um conjunto de recomendações com vista à integração económica e social das comunidades ciganas.

A recomendação do conselho foi adotada menos seis meses depois da apresentação da proposta. Este é o primeiro diploma legal para a integração dos ciganos. Como tal os vários países comprometem-se a tomar medidas especificamente destinadas a reduzir disparidades entre os ciganos e restante população.

A recomendação centra-se em quatro domínios: acesso à educação, emprego, saúde e habitação. E de forma a ver estas medidas aplicadas, a recomendação insta os Estados membros a atribuírem fundos da UE e dos próprios países nestas estratégias.

«O acordo obtido hoje é um sinal forte de que os Estados-Membros estão dispostos a enfrentar com determinação a difícil tarefa de integrar os ciganos. Os ministros assumiram por unanimidade o compromisso de melhorar a situação dos ciganos no terreno», declarou a Vice-Presidente Viviane Reding, Comissária da Justiça da UE. «Os instrumentos fundamentais para a integração dos ciganos estão agora nas mãos dos Estados-Membros e é importante que as palavras sejam seguidas de ações.Não hesitaremos em recordar aos países da UE os compromissos que assumiram e garantir o seu cumprimento.»

Segundo a Comissão Europeia, muitos dos 10-12 milhões de ciganos que existirão na Europa confrontam-se com preconceitos e discriminação na sua vida diária.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG