Tua afeta 0,00012% da área classificada pela UNESCO

A construção da barragem de Foz Tua, entre os concelhos de Alijó e Carrazeda de Ansiães, abrange 0,00012 por cento do Património Mundial da UNESCO, de acordo com dados da Estrutura de Missão do Douro (EMD).

A Barragem do Tua e respetiva albufeira localizam-se em 99,99% fora do Alto Douro Vinhateiro (ADV). A central e a subestação do empreendimento localizam-se dentro da área classificada do património, que abrange um total de 24 600 hectares.

A área de implantação desses órgãos afeta 2,9 hectares, o que corresponde a 0,00012% da superfície total do território classificado.

A edição de hoje do jornal Público avança que a Unesco se prepara para mandar parar as obras da barragem de Foz Tua por terem "um impacto irreversível e ameaçar os valores" que estiveram na base da classificação do Alto Douro Vinhateiro como Património Mundial da Humanidade, estando em análise uma missão conjunta de análise à situação.

Neste projeto de decisão da Unesco é igualmente exigido que o Estado remeta ao Comité do Património Mundial um relatório sobre a revisão ou o reexame do projeto" e também "sobre o estado de conservação" da área classificada.

Em causa está o projeto da barragem, em construção, que nunca terá sido mencionado no dossiê de candidatura, apesar de estar já previsto no Plano Energético Nacional de 1989 e no Plano da Bacia Hidrográfica do Douro desde 1999.

Exclusivos