Três vítimas mortais eram da zona de Amarante

As três vítimas mortais do acidente de sábado, que envolveu portugueses que viajavam em dois autocarros, eram de famílias diferentes e oriundos da região de Amarante.

Fonte consultar explicou que as famílias das vítimas mortais já foram informadas no sábado e que agora se está a definir a questão da trasladação dos corpos para Portugal.

Entretanto, fonte da subdelegação do Governo em Palencia confirmou à Lusa que na segunda-feira se realizará a autopsia aos corpos das vítimas.

As vítimas são dois homens, de 64 e 74 anos - que viajavam num dos dois autocarros envolvidos no acidente - e de um outro, de 35 anos, que era condutor auxiliar do segundo autocarro e, ao que tudo indica, familiar de um dos proprietários da empresa de transportes.

O processo de trasladação está a sofrer "algum impasse" pelo facto do acidente ter envolvido um autocarro com matrícula portuguesa e outro com matrícula francesa, logo com seguros dos dois países.

Entretanto, fonte da conselharia de Saúde do Governo regional de Castela e Leão confirmou que três feridos graves do acidente continuam internados em dois hospitais da região, nomeadamente o Rio Carrion em Palencia e o Clínico Universitário de Valladolid.

O caso que inspira mais cuidados é o de um homem de 79 anos que foi transferido de Palencia para Valladolid e que, segundo a mesma fonte, está "muito grave" na unidade de cuidados intensivos.

Cerca de 20 outros feridos ligeiros tiveram já alta médica.

A Lusa contactou esta tarde o secretário de Estado das Comunidades, que se encontra de visita ao Canadá, e que apenas sabia que as vítimas mortais eram do norte de Portugal e que as famílias já tinham sido informadas.

O acidente, que ocorreu pelas 21:00 locais de sábado (20:00 em Portugal) no quilómetro 65 da A-62 (que liga Burgos, em Espanha, a Portugal), na zona de Torquemada, perto de Palencia, envolveu dois autocarros em que viajavam 59 pessoas (16 num e 43 noutro).

Os autocarros faziam parte de uma linha regular que ligava a Suíça e França a Portugal, viajando neste caso em direção a França.

Citando dados da guardia civil espanhola, uma fonte da Autoridade Nacional de Proteção Civil portuguesa disse no sábado à Lusa que os autocarros, que pertencem à empresa francesa Andrade Voyages, embateram lateralmente quando seguiam no mesmo sentido.

Segundo as investigações iniciais, dadas a conhecer pela Guarda Civil às autoridades consulares portuguesas, o acidente terá ocorrido quando os dois autocarros regressavam à autoestrada depois de fazerem uma troca de passageiros na área de serviço ao quilómetro 64.

Um primeiro autocarro terá feito uma manobra fora do normal pelo que o segundo acabou por embater nele, explicou fonte consular.

A 07 de novembro de 2008, na mesma estrada, morreram seis portugueses também num acidente envolvendo dois veículos portugueses: uma carrinha e um camião com reboque. Neste caso, as vítimas eram trabalhadores que tinham estado em França e regressavam a Portugal.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG