Três detidos por tráfico de pessoas e imigração ilegal

Três dos quatro detidos pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), por alegado envolvimento num esquema de falsificação de documentos, imigração ilegal e tráfico de pessoas, ficaram em prisão preventiva, indicou aquele serviço de segurança.

Ao quarto detido foi aplicada a medida de coação pelo Termo de Identidade e Residência, adianta uma nota do SEF, sublinhando que os três arguidos, um português e dois estrangeiros, a quem foi aplicada a medida de prisão preventiva foram acolhidos no Estabelecimento Prisional de Lisboa.

A investigação iniciou-se a partir de uma ocorrência na Conservatória do Registo Civil da Amadora, onde se detetou que um cidadão estrangeiro, na posse de documentos falsos, tentou obter documentos portugueses para dois supostos filhos menores, segundo o SEF.

Diligências efetuadas permitiram aos investigadores do SEF "perceber que os menores são estrangeiros e que chegaram a Portugal no passado mês de fevereiro, juntamente com a alegada mãe e outro menor", explica o comunicado daquela entidade.

De acordo com o SEF, o esquema envolvia "um facilitador, alegadamente residente em França e que receberia a susposta mãe e os menores, um indivíduo que trataria de toda a logística em Portugal, principal intermediário, e um suposto alto dignitário estrangeiro, que terá diligenciado pela obtenção dos vistos e que viajou com a alegada mãe e os menores desde o país de origem até Lisboa". Os menores, dois rapazes com 1 e 12 anos e uma rapariga com 8 anos, e a alegada mãe encontram-se acolhidos por instituições de apoio.

A investigação do SEF relativa à atuação de uma rede criminosa transnacional prossegue.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG