Traficantes usam netos e irmãos como correios de droga

Os menores tinham entre 11 e 15 anos e eram usados pelos pais e avós para esconder e transportar droga na área do Grande Porto. No total eram 85 arguidos.

A acusação do Ministério Público do Porto revela que os 85 arguidos abasteciam o Grande Porto, sobretudo os bairros sociais e usavam os seus familiares, com idades entre os 11 e os 15 anos, para transportar droga.

O JN avança que um dos casos envolveu um avô que escondeu estupefacientes na roupa do neto, com apenas quatro anos, para passar despercebido.

Fonte da Procuradoria-Geral distrital do Porto garantiu ao DN que os indícios na acusação são fortes para este grupo de traficantes serem remetidos para julgamento.

Estes arguidos faziam parte de três grupos desmantelados no ano passado pela Divisão de Investigação Criminal (DIC) da PSP do Porto. É um dos maiores processos de tráfico de droga a chegar a tribunal, relativamente à quantidade de suspeitos.

Do total, 16 arguidos estão em prisão preventiva, cinco em domiciliária com pulseira eletrónica e quatro cumprem já penas de prisão por outras acusações. Ao todo foram apreendidos 11 quilos de droga, 5,2 dos quais eram de cocaína.

Um dos arguidos, segundo o JN, conhecido como 'Di', cabo verdiano com 32 anos, residente na Maia, é apontado como líder de um dos grupos, juntamente com a namorada e os sogros, de 50 e 54 anos. Dedicavam-se à venda de cocaína e heroína e recrutavam miúdos, dois deles irmãos de 'Di', com 14 e 15 anos, para fazer entregas a clientes.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG