Tornado com ventos máximos de 184 km por hora

O tornado que afetou o concelho de Paredes a 4 de Janeiro terá tido uma intensidade de nível F1 na escala de Fujita (uma escala em que o grau cinco é mais grave), com ventos até 184 quilómetros por hora.

A avaliação é do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) com base nos estragos causados pela passagem do tornado no concelho de Paredes, num comunicado publicado hoje.

O vento provocou o destelhamento de habitações e armazéns, deixou "postes em cimento, metal ou de madeira partidos ou torcidos" e fez tombar árvores de grande porte pela raíz. Todos estes estragos, bem como o rasto de destroços espalhados "a várias dezenas ou centenas de metros", são consistentes com a trajetória seguida por uma tempestade (supercélula) identificada nas imagens radar, diz o IPMA.

O instituto explica ainda que desde meados de dezembro "que as depressões originadas na parte leste dos EUA têm sofrido processos de cavamento rápido - ciclogénese explosiva - na sua passagem pelo Atlântico Norte". Este processo foi, essencialmente, devido ao forte contraste entre a massa de ar muito frio sobre a parte leste dos EUA e a massa de ar quente e húmido do Atlântico.

A passagem de uma destas depressões, apelidada de Cristina, originou as ondas com uma altura significativa e de longo período, portanto com mais energia, que atingiram a costa dos Açores no dia 5 e o litoral do continente no dia 6.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG