Teste ajuda a prever risco de doença de Alzheimer

Pela primeira vez em Portugal, uma equipa multidisciplinar da Universidade de Coimbra (UC) aplicou em contexto clínico um teste de memória desenvolvido nos EUA que permite verificar se as pessoas correm risco de evoluir para a doença de Alzheimer.

O Teste de Recordação Seletiva Livre e Guiada, desenvolvido nos anos 1980 pelo especialista norte-americano Buschke, foi adaptado para a população portuguesa por investigadores das Faculdades de Psicologia, de Medicina e de Letras (FLUC) da Universidade de Coimbra.

Os resultados do estudo financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia revelaram "sensibilidade e precisão elevada na diferenciação entre os doentes com Défice Cognitivo Ligeiro (DLC) com mais riscos de desenvolver Alzheimer e os que apenas manterão a memória diminuída. Posteriormente, correlacionámos a informação obtida no Teste com o alelo APOE 4 (marcador genético associado à doença de Alzheimer) e confirmámos as nossas conclusões", explicou Raquel Lemos, primeira autora do artigo científico publicado no britânico Journal of Neuropsychology.

Considerando a complexidade da Doença de Alzheimer, o teste "mostra ser um instrumento útil no diagnóstico precoce desta demência. A informação fornecida pelo teste, de prever se um indivíduo com DCL pode ou não desenvolver Alzheimer, permite orientar os clínicos na adoção de medidas profiláticas e terapêuticas", afirmou a investigadora da Faculdade de Psicologia e de Ciências de Educação da Universidade de Coimbra.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG