Swaps: Estado paga 10 milhões a assessores jurídicos

Empresas públicas de transportes envolvidas no processo judicial com o Santander repartem os custos

Pelo menos 10 milhões de euros é quanto o Estado já pagou aos assessores jurídicos e financeiros que o apoiam no processo judicial por causa dos contratos swap que envolvem empresas públicas.

Segundo noticia esta segunda-feira o jornal Público, "a fatura não deverá ficar por aqui" caso haja recurso da decisão do tribunal de Londres que deu razão ao banco Santander.

Em causa estão as empresas de transportes públicos Metro de Lisboa, Metro do Porto, Carris e STCP, que repartem entre si os custos com a assessoria jurídica e financeira em que participam escritórios de advogados em Portugal e no Reino Unido.

Até agora, adianta o jornal, já foram assumidos encargos de 4,1 milhões de euros pela Metro de Lisboa, 3,3 milhões de euros pela Metro do Porto, 673,8 mil euros pela STCP e 336,9 mil euros pela Carris.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG