Zona de chegadas reabre seis meses após queda do teto

A zona de chegadas do aeroporto de Faro reabre na próxima terça-feira ao público, precisamente seis meses depois do temporal que fez desabar parcialmente o teto da aerogare, mas a ocasião será aproveitada para outras remodelações na infraestrutura.

"Fizemos coincidir a reabertura da zona de chegadas do interior da aerogare com a remodelação das zonas de partidas e chegadas no exterior do edifício e da forma como o trânsito se vai processar, que será completamente diferente da atual", disse à Lusa o diretor do aeroporto de Faro, António Correia Mendes.

A zona de chegadas do aeroporto estava encerrada desde a madrugada de 24 de outubro, quando um forte temporal provocou a destruição do teto por cima daquela área pública, danificando também parcialmente a zona de check-in, o que levou ao fecho de alguns balcões.

Mesmo sem todas as obras de reparação concluídas, uma dúzia daqueles balcões foram reabertos ao público antes da Páscoa e outros tantos reabriram na passada sexta-feira.

Quatro empreiteiros principais e mais de uma centena de operários e técnicos trabalharam nos últimos seis meses em várias frentes para que não houvesse derrapagens. Segundo Correia Mendes, "à custa de muito esforço", isso foi conseguido.

Além das obras que decorrem no exterior, a velocidade de cruzeiro, a prioridade do aeroporto e da ANA -- Aeroportos de Portugal tem sido a outra extremidade da aerogare, de forma a acabar com os incómodos para os passageiros recém-chegados.

Desde os dias seguintes à intempérie, quem chega a Faro é encaminhado para um túnel, após o que atravessa uma estrada e chega a um parqueamento, próximo do qual existe uma tenda gigante com algumas estruturas de apoio.

O diretor espera que a tenda possa ser dispensada de segunda para terça-feira e que a estrutura renovada esteja pronta para receber os primeiros passageiros nesssa mesma madrugada, mesmo que possam faltar "algumas limpezas de última hora" ou haja atrasos na reabertura dos quiosques existentes, geridos por empresas de rent-a-car ou outras.

Porém, nem toda a zona coberta abrirá ainda ao público na terça-feira, explica Correia Mendes, pois "numa pequena zona junto às chegadas será colocado um taipal", após o qual, por algumas semanas, continuarão os trabalhos naquele extremo do edifício.

Mesmo assim, o responsável assegura que a zona de chegadas será, a partir de terça-feira, "a melhor do aeroporto" e ficará mesmo "melhor do que antes", em boa parte devido à eliminação da grande escadaria de acesso ao piso superior, que "roubava muito espaço útil" à superfície onde chegam os passageiros.

O túnel que agora dá acesso à zona da tenda de apoio logístico manter-se-á operacional nos próximos meses apenas para os passageiros que pretendam deslocar-se à zona de rent-a-car.

Os restantes serão acolhidos por uma estrutura diferente da que existia até à intempérie de outubro, de que faz parte uma enorme estrutura sombreadora sob a qual os passageiros poderão apanhar um táxi ou um mini bus para o hotel.

A algumas dezenas de metros, uma estrutura semelhante acolherá quem chega ao aeroporto para apanhar o seu avião, enfatiza o diretor do aeroporto, reforçando que o trânsito se passará a fazer por novas estradas, ainda em fase de acabamentos, mas que estarão "seguramente prontas na madrugada de dia 24".

Depois do fim destas obras, até junho, prosseguirão alguns arranjos exteriores já em curso aquando do temporal, que não afetarão o movimento de passageiros.

Mas boa parte das obras de remodelação dos acessos viários, que contemplam novas estradas, arranjos exteriores e parques de estacionamento só deverão ficar concluídas em abril de 2013.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG