Um mês violento em Rio de Mouro

"Esta é uma zona de assaltos. No parque onde morreu a criança há dois a três assaltos por semana", conta a testemunha do crime, Luís David. Não dá a cara porque tem medo. "Por vezes até se pegam à luta aqui ao pé do portão da minha casa", justifica o idoso.

O presidente da Junta de Freguesia de Rio de Mouro, Filipe Santos, não subscreve a ideia de insegurança na zona. "Este crime surpreende pelo resultado mas a zona nem ocorrem muitos assaltos", explica o presidente. "A maioria dos roubos que aqui acontecem é junto à escola secundária e nas imediações da estação de comboios. Trata-se normalmente de assaltos por esticão", salienta o autarca.

Há menos de 15 dias, também em Rio de Mouro, um jovem de 15 anos foi atacado por um grupo de 15 que, para lhe roubarem o blusão, o esfaquearam nas costas. Há três semanas, duas mulheres foram sequestradas e ameaçadas numa mercearia. O assalto foi feito por três jovens encapuzados e que estavam armados. Levaram o dinheiro da caixa registadora e também os telemóveis da dona.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG