Triplo homicida de Queluz começa hoje a ser julgado

O homem acusado de triplo homicídio qualificado e de um crime de incêndio, cometidos num elevador em Queluz, em agosto de 2012, começa hoje a ser julgado no Tribunal de Sintra.

Segundo o despacho de acusação do Ministério Público (MP), o arguido, de 58 anos, "atacou três vítimas num elevador pela propagação do fogo", no dia 13 de agosto.

O crime provocou a morte de duas mulheres, mãe e filha, de 70 e 34 anos, e de um segurança, de 24 anos, contratado por uma das mulheres que, alegadamente, já tinha sido ameaçada de morte pelo suspeito.

De acordo com a investigação, os motivos que levaram o arguido a incendiar o elevador com álcool, estarão relacionados com "problemas de negócios" em duas clínicas, nas quais o homem seria sócio da vítima mais velha.

O arguido confessou à polícia que "apenas pretendia provocar um susto às vítimas", depois de se ter entregado às autoridades.

O suspeito está acusado pelo MP de três crimes de homicídio qualificado e de um crime de incêndio.

O homem encontra-se em prisão preventiva desde 30 de agosto de 2012.

O autor confesso dos factos sofreu queimaduras na cara, nos dedos das mãos e nos joelhos. Inicialmente foi assistido no Hospital Amadora-Sintra, mas por não dispor de unidade de queimados, aquele hospital ordenou a transferência para o Hospital de São Francisco Xavier, em Lisboa.

Posteriormente foi transferido para a unidade de queimados do Hospital de São José, onde esteve internado durante algumas semanas e foi submetido a várias intervenções cirúrgicas.

O início do julgamento está agendado para as 09:30 no 5º. Juízo de Grande Instância Criminal do Tribunal de Sintra.

Exclusivos