Sindicato fala em mais de 90%; empresa em 59

A Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações registou uma adesão "entre 92 e 94 por cento" dos trabalhadores da Transtejo (TT) à greve, enquanto a empresa fala em 59,3 por cento de adesão.

A greve de hoje, quarta-feira, suspendeu as ligações fluviais entre Lisboa e Seixal, Cacilhas, Trafaria e Montijo entre as 06.00 e as 09.00 e entre as 17.00 e as 20.00.

Em declarações à agência Lusa, José Augusto Oliveira, porta-voz do sindicato, destacou a "adesão expressiva dos trabalhadores". "Registámos níveis de adesão entre os 92 e os 94 por cento", afirmou. No período da tarde, acrescentou, "os serviços de manutenção pararam e tiveram níveis de adesão superiores aos da média, 95 por cento".

As contas da empresa são diferentes. De acordo com fonte da Transtejo, a adesão à greve foi de 59,3 por cento. Isto porque, explicou à Lusa fonte da empresa, "a contagem do período da tarde inclui os administrativos, cuja adesão à greve foi menor".

Os trabalhadores da Transtejo fizeram hoje três horas de greve no início de cada turno, em protesto contra os cortes salariais.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG