Rotunda do Marquês "funciona sem problemas"

O presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, considerou hoje, um mês depois das alterações ao sistema de circulação viária no Marquês de Pombal e na Avenida da Liberdade, que a dupla rotunda "funciona sem problemas neste momento".

Desde 16 de setembro que a praça do Marquês de Pombal tem duas rotundas - uma interna e uma externa - e a Avenida da Liberdade tem apenas uma faixa central para veículos particulares e outra para o transporte coletivo, com o objetivo de reduzir a poluição de uma das zonas nobres da capital.

Na assembleia municipal de hoje, António Costa considerou que desde a introdução do novo sistema de circulação tem sido feito "um ajustamento muito saudável" da medida.

Depois de um primeiro dia com um "resultado particularmente negativo" e que obrigou a mudanças, o autarca socialista disse que "tem vindo a ser possível monitorizar a evolução da situação e corrigindo o que é necessário corrigir".

O presidente de câmara disse que nas laterais da Avenida da Liberdade, "onde existiam mais receios" de complicações, a circulação "tem corrido bem", até devido à "natureza e sinalização das vias" que levam a uma "condução bastante cuidadosa".

No entanto, António Costa admitiu um "aspeto negativo" da medida, no sentido ascendente da Avenida da Liberdade.

"Julgamos que o engarrafamento entre a Rua Alexandre Herculano e os Restauradores tem a ver sobretudo com a calibração dos tempos dos semáforos entre o Cinema São Jorge e o Tivoli e no cruzamento da Alexandre Herculano e a Rua Barata Salgueiro", apontou.

O presidente da câmara anunciou que os tempos dos semáforos vão ser calibrados, uma decisão do vereador da Mobilidade, Nunes da Silva, e vai ser introduzida "em breve", de forma a "facilitar o escoamento de quem circula naquele sentido".

Ainda assim, António Costa admitiu que "um mês é cedo para conclusões definitivas", defendendo que se tirem conclusões finais sobre as alterações de trânsito em dezembro, quando termina o teste ao sistema de circulação.

Na reunião da assembleia, a deputada do PSD Inês Dentinho, que tinha sido muito crítica da medida mas que reconheceu a evolução da circulação do trânsito no Marquês depois das primeiras alterações feitas pela câmara, admitiu que a rotunda "continua a funcionar" e fez votos que assim continue.

Já o CDS-PP criticou a altura em que a medida teve início, em época de regresso às aulas, e os custos do "experimentalismo rodoviário" e disse que a alteração à circulação "não seria possível sem o túnel do Marquês de Pombal".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG