PCP vai propor revogação do Estatuto da Carreira Docente

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, anunciou hoje que os eleitos comunistas vão apresentar na Assembleia da República uma proposta de revogação do Estatuto da Carreira Docente.

No dia em que se assinala o Dia Mundial do Professor, o líder comunista anunciou em Beja que esta será "a primeira das primeiras medidas" a tomar pela bancada comunista "em termos de iniciativa legislativa na Assembleia da República".

Jerónimo de Sousa participou em Évora num almoço com cerca de 500 participantes, ao lado dos candidatos da CDU à Câmara e freguesias de Évora, num encontro em que lançou um desafio às restantes forças políticas.

"As multinacionais e o grande capital descobriram que o negócio do século pode ser a água, com a consciência que a Humanidade sem água não vive. Eles estão virados para transformar a água num negócio que dê lucro", afirmou, acrescentando que o Partido Socialista "abriu claramente as portas" à privatização da água.

Para Jerónimo de Sousa, esta questão é "uma das batalhas mais importantes".

O líder comunista defende que "cada força política assuma perante o povo português o que quer fazer da água", em particular no momento em que se aproximam as eleições autárquicas.

Antes de Jerónimo de Sousa, falou o candidato à Câmara de Évora, Eduardo Luciano, que se afirmou "profundamente convicto" na vitória da CDU, citando sondagens que apontam para a derrota da maioria socialista no concelho.

Para o cabeça-de-lista comunista, no próximo domingo, "só há duas opções" para os eleitores de Évora.

"Ou continuam com mais do mesmo e Évora não suporta mais quatro anos desta gestão autárquica [liderada pelo socialista José Ernesto Oliveira], ou votam na única alternativa capaz, a CDU".

o candidato comunista defendeu que o voto na CDU não pode ser porque "o PS é tão mau, tão mau", mas porque o seu projecto político "é melhor".

Jerónimo de Sousa concordou: "Não é melhor argumento dizer que este PS é tão mau, tão mau, tão mau, que têm de recorrer ao voto na CDU. Não é uma questão de mal-menor, mas uma questão de bem-maior votar na CDU, pelo seu projecto".

Sobre as expectativas para o próximo domingo, o líder comunista foi mais contido, pedindo que "sem entusiasmos excessivos, mas com os pés na terra, que cada um tenha a esperança e a confiança de que é possível dar a volta a isto".

"Não sejamos tímidos, não estejamos pendurados numa utopia de vencer ou não aqui as eleições. Consigamos pelo menos este grande objectivo, crescer e avançar em Évora, no distrito e no país", defendeu.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG