Militar da GNR acusado de burla e de usurpação de funções

O Ministério Público (MP) acusou um militar da GNR, suspeito de vários crimes de burla, de usurpação de funções e de falsificação, na área da saúde, informa hoje a Procuradoria-Geral da Distrital de Lisboa (PGDL).

Segundo uma nota publicada na página da internet da PGDL, o arguido, em conjugação de esforços com outro homem, entretanto falecido, apoderou-se de várias vinhetas de médicos em exercício de funções no Centro Médico da GNR de Lisboa, entre meados de 2008 e 2009.

Sustenta o MP do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) que o militar utilizou essas vinhetas de forma fraudulenta, na emissão de atestados médicos para a certificação da aptidão para a prática de futebol de diversos jogadores e atletas de clubes da Associação de Futebol de Lisboa.

O arguido realizou ainda vários exames médicos, destinados a atestar a capacidade física de atletas, sem que para tal tivesse qualquer habilitação médica, adianta a acusação.

O inquérito foi dirigido pela 7.ª secção do DIAP de Lisboa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG