Elétrico de Sintra renasce a partir de 3 de agosto

A circulação do centenário elétrico de Sintra vai ser restabelecida a 3 de agosto, depois de a Câmara de Sintra ter investido 150 mil euros na reposição de cabos e na requalificação da linha, disse à Lusa o vice-presidente.

O trajeto entre Sintra e a Praia das Maçãs estava encerrado desde outubro devido à queda de uma árvore sobre a linha e ao roubo de um quilómetro de cabos de cobre que fornecem eletricidade aos veículos.

Segundo o vice-presidente da câmara, Marco Almeida, as obras de reposição dos cabos e de manutenção da linha já estão concluídas e dentro de uma semana o elétrico já poderá fazer o percurso entre a serra e o mar.

Marco Almeida adiantou que a câmara pondera a instalação de um circuito de videovigilância na linha de forma a prevenir futuros roubos dos cabos de cobre.

"Estamos a avaliar com a GNR o que é que pode ser feito para melhorar a segurança daquele equipamento histórico. Temos tido algum azar com o elétrico, desta vez devido à falta de civismo de pessoas que vandalizaram não só o espaço da garagem, mas também os cabos elétricos da linha", disse.

Uma vez que as carruagens dos elétricos foram igualmente alvo de vandalismo - roubo de puxadores de portas e outras peças metálicas -, a câmara vai reforçar a segurança das garagens.

"Estamos a avaliar com os funcionários da câmara que nos fizeram um conjunto de sugestões para melhorarmos as questões da segurança e do reforço da vigilância do espaço onde os elétricos estacionam", adiantou.

Segundo Marco Almeida, a Câmara de Sintra tem recebido "muitas reclamações" por parte de "munícipes, de residentes na Área Metropolitana de Lisboa e de turistas que gostavam de fazer aquele circuito" turístico.

Inaugurado em 1904, o elétrico hoje é um dos ex-líbris turísticos de Sintra e faz um percurso de doze quilómetros entre a vila e a Praia das Maçãs, circulando por Colares, Galamares e pela sinuosa serra.

A ideia de ligar a serra ao mar através do percurso da vila até à Praia das Maçãs surgiu em 1886. Em 1903 foram adquiridos treze elétricos a uma empresa americana de Filadélfia e o projeto foi concretizado em 1904.

Em 2008, a circulação na linha esteve interrompida durante vários meses por razões de segurança, devido às fortes chuvadas provocaram deslizamentos de terra para a via-férrea.

No ano passado, a circulação do elétrico foi suspensa devido a danos na rede aérea que fornece eletricidade ao veículo, provocados pelo mau tempo.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

O populismo entre nós

O sucesso eleitoral de movimentos e líderes populistas conservadores um pouco por todo o mundo (EUA, Brasil, Filipinas, Turquia, Itália, França, Alemanha, etc.) suscita apreensão nos países que ainda não foram contagiados pelo vírus. Em Portugal vários grupúsculos e pequenos líderes tentam aproveitar o ar dos tempos, aspirando a tornar-se os Trumps, Bolsonaros ou Salvinis lusitanos. Até prova em contrário, estas imitações de baixa qualidade parecem condenadas ao fracasso. Isso não significa, porém, que o país esteja livre de populismos da mesma espécie. Os riscos, porém, vêm de outras paragens, a mais óbvia das quais já é antiga, mas perdura por boas e más razões - o populismo territorial.