Automobilista morre em queda de falésia no Algarve

Autoridade Marítima admite tratar-se de suicídio de um homem de 31 anos e nacionalidade portuguesa. Viatura está no areal à espera da seguradora, mas utentes da praia receiam que seja arrastada para o mar.

Um homem de 31 anos e nacionalidade portuguesa morreu, no sábado, cerca das 13.00 horas, ao volante do seu carro. após este ter caído de uma falésia com mais de 30 metros de altura na Praia do Beliche, perto do Cabo de São Vicente, em Sagres, no concelho de Vila do Bispo. Apesar de o caso estar a ser investigado pelas autoridades, o comandante dos portos de Portimão e Lagos, Santos Pereira, admitiu ao DN poder tratar-se "em princípio de suicídio".

De acordo com a versão de uma testemunha, ao chegar à zona do Beliche, "o condutor acabou por desviar a viatura Ford Fiesta de cor branca para um caminho de pedras e terra, onde até deixou passar um estrangeiro que tinha ido ver o mar, antes de acelerar em direção à extremidade da falésia, caindo daí para a praia".

Já à beira-mar, os surfistas que ali se encontravam não ganharam para o susto. Um deles contou ao DN: "Ouvimos um estouro e ficámos todos a olhar assutados sem saber o que se estava a passar. Depois, alguns surfistas retiraram o homem do interior do carro, o qual já estava na água, e levaram-no numa prancha para uma zona à sombra, onde uma alemã, que é médica, acompanhou a situação porque ele ainda respirava. Mas ao fim de quinze minutos, acabou por falecer. Tinha um buraco na cabeça, uma perna completamente partida e dentes já a cair da boca em consequência do embate. O corpo estava despedaçado. Vestia calças tipo fato de treino, uma T-shirt e um casaco. Não é pessoa conhecida nesta zona". Outro popular acrescentou que ao ser retirado do carro, o condutor ainda se mostrou agressivo e antes de morrer até gritou: "Saiam daqui!"

Segundo apurou o DN, o homem foi identificado como funcionário da ANA-Aeroportos, em Faro. O corpo acabou por ser removido da praia por elementos da corporação dos Bombeiros Voluntários de Vila do Bispo e posteriormente transportado para o Gabinete Médico Legal instalado no Centro Hospitalar do Barlavento Algarvio, em Portimão, onde se realizará a autópsia. Já em relação ao carro, que se encontra destruído em pleno areal, a Autoridade Marítima vai contactar a companhia de seguros, a fim de proceder à sua retirada do local. Isto, numa altura em que habituais utentes da Praia do Beliche receiam o derrame de combustível e o risco de ser arrastado para o meio do areal e para mar perante a subida das marés.

Exclusivos

Premium

Leonídio Paulo Ferreira

Nuclear: quem tem, quem deixou de ter e quem quer

Guerrilha comunista na Grécia, bloqueio soviético de Berlim Ocidental ou Guerra da Coreia são alguns dos acontecimentos possíveis para datar o início da Guerra Fria, que alguns até fazem remontar à partilha da Europa em esferas de influência por Churchill e Estaline ainda o nazismo não tinha sido derrotado. Mas talvez 29 de agosto de 1949, faz agora 70 anos, seja a melhor opção, afinal nesse dia a União Soviética fez explodir a sua primeira bomba atómica e o monopólio da arma pelos Estados Unidos desapareceu. Sim, foi o teste em Semipalatinsk que estabeleceu o tal equilíbrio do terror, primeiro atómico e depois nuclear, que obrigou as duas superpotências a desistirem de uma Guerra Quente.