Fogo circunscrito à sucata, habitações "não estão em risco"

O incêndio que lavra numa sucata em São Marcos, Sintra, "não põe em risco habitações, nem empresas da área limítrofe", estando "circunscrito" àquele ferro velho, disse o comandante distrital da Protecção Civil de Lisboa.

Elísio Oliveira disse à agência Lusa que o incêndio "não põe em risco nem habitações, nem empresas da área limítrofe ao incêndio" e que a "grande preocupação agora é a segurança dos combatentes", devido às várias explosões que continuam a acontecer pela grande quantidade de material combustível que existia no ferro velho.

O comandante operacional distrital de Lisboa disse que a evacuação da SP Televisão deveu-se ao "fumo intenso" e que o fogo não põe em risco a produtora, apesar de as chamas se encontrarem a cerca de apenas 30 metros das instalações dos estúdios de gravação.

Elísio Oliveira disse ainda que o IC19 está cortado nos dois sentidos, para "protecção dos automobilistas" devido à "falta de visibilidade causada pela "nuvem de fumo".

O responsável da Protecção Civil descreveu que o "fogo atingiu as instalações de apoio da sucata, a oficina e o armazém de peças" e que os "trabalhos da sua extinção vão ser "muito demorados" devido à existência de "muito material combustível, como pneus e sucata", e pela própria organização do espaço, que "pelos carros empilhados custa a combater".

No local está também o presidente da Câmara de Sintra, Fernando Seara (PSD), que apesar de remeter os esclarecimentos para a Protecção Civil, disse que "não está preocupado" porque o fogo "está circunscrito ao ferro velho".

De acordo com a página oficial da Protecção Civil, 191 bombeiros, auxiliados por 67 veículos, combatiam o incêndio pelas 20:00. Elísio Oliveira enumerou que além destes operacionais, provenientes de mais de 25 corporações, no local estão meios municipais de polícia e proteção civil, a PSP, da PJ e representantes da concessionária do IC19, a ASCENDI.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG