Ex-director do Parque Natural condenado por peculato

Um antigo director do Parque Natural da Arrábida foi hoje absolvido do crime de corrupção passiva por alegado licenciamento indevido de uma construção ilegal e condenado a 18 meses de prisão com pena suspensa por um crime de peculato.

O ex director Celso Santos foi um dos três arguidos condenados a penas de prisão pelo Tribunal de Setúbal juntamente com um fiscal da câmara municipal e um terceiro arguido que estava indiciado por corrupção activa.

O fiscal da câmara Elídio Sobral da Costa foi condenado a três anos e meio de prisão com pena suspensa e com uma pena acessória de inibição de exercer funções públicas durante um período de três anos.

O terceiro arguido, o construtor Adelino Andrade, que estava acusado de corrupção activa, foi condenado a uma pena de um ano de prisão convertida em 365 dias de multa a 15 euros por dia.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG