Dois militares condenados por desviarem bens alimentares

O Tribunal de Almada condenou dois militares a três anos e seis meses de prisão, com pena suspensa, e ao pagamento de 1182 euros por desviarem e venderem bens alimentares do Arsenal do Alfeite.

De acordo com a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa, o tribunal deu como provado que os militares, que trabalhavam no refeitório e na área da despensa aproveitavam as suas funções de aprovisionamento, administração e receção de géneros alimentícios para desviar carne, vendendo-a a terceiros.

Os factos remontam a um período entre maio e setembro de 2007, altura em que os homens terão combinado desviar a carne, obtendo e dividindo os lucros, ilegítimos, "à conta do Estado e da Marinha de Guerra Portuguesa", refere a PGDL no seu site na Internet.

Neste período terão realizado cerca de 1182 euros de lucro, que agora foram obrigados a devolver. Foram condenados por três crimes de peculato, com uma pena única de três anos e seis meses, suspensa, além do pagamento dos 1182 euros e da perda de 870 euros apreendidos na altura a um desses arguidos.

O processo tinha sete arguidos, mas os restantes, militares e um elemento civil representante de uma empresa de venda de carnes foram absolvidos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG