Dispensada autópsia a corpo encontrado junto ao hospital

O Ministério Público dispensou a realização da autópsia ao cadáver do homem que foi encontrado no recinto do Hospital de Beja, quase 12 horas após ter saído das urgências, revelou à Lusa fonte hospitalar.

"A procuradora do Ministério Público dispensou a realização da autópsia", disse a fonte do Hospital de Beja, referindo que a certidão de óbito do homem, de 74 anos, declara a causa da morte como "indeterminada". No entanto, o Hospital de Beja vai avançar com um processo de inquérito interno para "averiguar o que terá acontecido desde que o homem teve alta e saiu das urgências até ao falecimento", disse a fonte.

O homem, natural de Figueira de Cavaleiros, no concelho de Ferreira do Alentejo, foi encontrado morto cerca das 09.00 de segunda-feira por um funcionário do hospital e junto ao parque de estacionamento do Hospital de Dia.

Segundo a fonte, o homem, que se queixava de tonturas e perdas de consciência, tinha sido assistido no domingo e por duas vezes nas urgências do hospital, de onde teve alta e saiu, pela última vez, às 21.40, "pelo próprio pé, perfeitamente consciente e lúcido". Na primeira vez que foi assistido nas urgências, o homem fez várias análises e, na segunda vez, fez uma Tomografia Axial Computorizada (TAC), que "revelaram que estava tudo normal", precisou a fonte.

A PSP de Beja foi chamada ao local e elementos da esquadra de investigação criminal verificaram que não havia indícios de crime e o caso foi encaminhado para o Ministério Público, disse à Lusa a subcomissária Maria do Céu Silva, do Comando Distrital de Beja da PSP.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG