Dez detidos por suspeita de auxílio a imigração ilegal

Dez pessoas foram detidas por suspeita de crimes de associação para auxílio à imigração ilegal, casamentos por conveniência, falsificação de documentos e corrupção passiva para ato ilícito, informou a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL).

Segundo a página de Internet da PGDL, o Ministério Público, com a colaboração do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), deteve os 10 suspeitos numa operação realizada segunda e terça-feira.

Esta rede estava a operar pelo menos desde 2009 e ganhava dinheiro com a regularização da permanência de indivíduos de origem estrangeira no espaço da União Europeia.

Os principais arguidos, que sexta-feira serão presentes a tribunal, promoveram casamentos entre cidadãs portuguesas e indivíduos estrangeiros (a quem cobravam cerca de 10.000 euros), para que estes, posteriormente, conseguissem regularizar a sua residência num país da União Europeia.

A rede também procedia à falsificação de documentos como bilhetes de identidade, passaportes e cartões de residência que eram vendidos a cidadãos estrangeiros.

A organização criminosa dedicava-se ainda à falsificação de contratos de trabalho, que vendia a cidadãos de origem estrangeira para que estes os pudessem apresentar ao SEF e obter cartões de residência no país.

A investigação tem estado a ser dirigida pela Unidade Especial de Combate ao Crime Especialmente Violento (UECEV) do Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa e executada pelo SEF.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG