Católicos em oração contínua para pedir mais padres

Num período em que a crise atinge também as ordenações sacerdotais, centenas de católicos algarvios prometem rezar sem parar até ao dia 11 numa cadeia de oração para pedir a Deus mais padres para a região.

Durante um total de duas semanas (já iniciadas), professores, catequistas e alunos, escuteiros, grupos de cantores de coro e outros tantos fiéis vão revezar-se dia e noite numa cadeia intensa de oração e adoração que vai percorrer todas as paróquias da Diocese do Algarve para pedir pelas vocações sacerdotais e manter o Lausperene ativo. "O Lausperene é uma adoração ao Santíssimo Sacramento [corpo de Cristo presente na hóstia consagrada, segundo a Igreja Católica] e no Algarve acontece com especial incidência nesta altura do mês de novembro, em que celebramos a semana do seminário e aproveitamos para pedir pelas vocações sacerdotais", explica à Lusa Pedro Manuel, padre da Diocese do Algarve há três anos e diretor do secretariado das vocações da região.

Nos últimos cinco anos, apenas cinco padres foram ordenados em toda a região, mas para Pedro Manuel o primeiro grande resultado do Lausperene é "a adesão dos fiéis" à causa. Com satisfação, menciona que no primeiro dia, a igreja de Loulé estava "cheia e com muitos jovens". Para as 80 paróquias do Algarve existem atualmente 68 sacerdotes e diáconos permanentes e o Seminário de Faro tem 13 rapazes, entre os 17 e os 30 anos, a estudar Teologia e a preparar-se para o sacerdócio.

"Nunca fomos uma diocese com grande expoente de ordenações e estamos ao ritmo das dioceses desta dimensão", lembra o sacerdote de 28 anos, que vê a diminuição das ordenações "como um sinal dos tempos", mas acredita que "Deus não falha" e que os jovens "vão dar resposta ao chamamento, ao seu tempo e ao seu ritmo." Pedro Manuel admite que haja algum receio em "atender ao chamamento de Deus", porque os jovens "parecem sentir-se na obrigação de responder ao mundo e às suas famílias", mas, sublinha, "a principal resposta que têm de dar é a si próprios."

Quando o mais habitual "é casar e formar família", hoje em dia, ser-se padre é, para este jovem sacerdote, um "ato radical", que implica muita coragem. A jornada de oração no Algarve vai durar duas semanas, durante noite e dia, nas várias comunidades cristãs da região, e termina na paróquia de Vila Real de Santo António, no dia 11 de novembro, às 21:00.

Exclusivos