Barreiro considera novo Porto de Lisboa uma oportunidade

A Assembleia Municipal do Barreiro, de maioria PCP, aprovou, por maioria, uma recomendação ao Governo em que considera que a estratégia para o Porto de Lisboa pode ser uma oportunidade para o concelho.

O documento, a que a agência Lusa teve hoje acesso, foi apresentado pelo deputado do PSD Bruno Vitorino, e refere que o Barreiro "não pode ficar alheado" do plano do Governo e que "o reforço da sua vertente industrial tem um papel fundamental para a criação de riqueza e de postos de trabalho".

A Assembleia Municipal, reunida na segunda-feira à noite, solicitou ao Executivo que, articulação com a Câmara Municipal do Barreiro, aposte na requalificação das zonas ribeirinhas, em projetos da náutica de recreio e também nas áreas de carga.

A recomendação defende ainda que o Governo deve estudar a "viabilidade técnica de rentabilização dos terrenos da Baía do Tejo" para receber "terminais de contentores e consequentemente empresas ligadas a este setor".

O documento, depois de algumas alterações, foi aprovado por maioria, com os votos favoráveis do PCP, do PS e do PSD, enquanto o BE votou contra.

O Governo apresentou na sexta-feira o plano de reestruturação do Porto de Lisboa, que prevê a concessão do terminal de cruzeiros, um novo terminal de contentores na Trafaria e a criação de uma nova marina.

O presidente da Câmara do Barreiro, Carlos Humberto, afirmou à agência Lusa que a intenção de reforçar a atividade portuária do concelho e a requalificação prevista na frente ribeirinha são passos positivos, mas ainda quer "perceber bem do que se está a falar".

"O governo anunciou um investimento no Porto de Lisboa, com parte importante da atividade a passar para a Península de Setúbal. No caso do Barreiro, a intenção de reforçar os portos existentes, de uma intervenção ao nível das pescas e na náutica de recreio, é algo que considero positivo", disse Carlos Humberto.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG