Autarca do PSD agredido no último dia do mandato

Presidente da Junta de Benfica acusa o seu homólogo de S. Domingos de Benfica de agressão. Este diz que foi o primeiro quem agrediu mas... o seu irmão gémeo.

Guerras políticas estão na origem de uma troca de acusações graves entre o presidente da Junta de Freguesia de Benfica, Domingos Pires, de 71 anos, e o da Junta de Freguesia de São Domingos de Benfica, Rodrigo Gonçalves, de 35 - ambos do PSD. O primeiro garante que foi "bárbaramente agredido" pelo segundo. Este, por sua vez, assegura que a única vítima de violência física por parte de Domingos Pires, é o seu irmão gémeo, que terá sido confundido consigo.

O que quer que tenha sucedido, e que ainda está por explicar, terá sido pelas 10.00 de ontem, em Benfica, Lisboa. Ao DN, Domingos Pires descreve o que lhe terá acontecido como resultado de "ciumeiras políticas". O ainda autarca - que passa hoje o testemunho ao PS, que ganhou as últimas eleições - garante quetudo aconteceu quando saiu da junta para visitar uma obra. Um carro parou junto de si e foi "alvo de uma violenta e traiçoeira agressão, a pontapé e a murro, levada a cabo pelo deputado municipal da Câmara Municipal de Lisboa, Pedro Miguel Duarte dos Reis, de elevada estatura, e pelo presidente da Junta de Freguesia de S. Domingos de Benfica, Rodrigo Nuno Elias Gonçalves".

Domingos Pires exibe os ferimentos no sobrolho esquerdo que diz terem sido causados por uma peça em metal usada por um dos dois homens que saiu da viatura. O outro, diz, deu-lhe pontapés nas pernas, braços e costas. Domingos Pires "teve de ser assistido no posto médico da Junta", tendo depois apresentado queixa-crime contra os visados, na esquadra de Benfica da PSP por ofensas corporais.

Quem também vai apresentar queixa, mas por difamação, contra Domingos Pires é Rodrigo Gonçalves que, ao DN, garantiu que quem foi agredido "por esse senhor" foi o seu irmão gémeo. "Tenho um relatório médico que comprava isso mesmo", assegurou o presidente da Junta de S. Domingos de Benfica, lamentando que "guerras políticas tenham extravasado todos os limites" e atingido o nível pessoal.

"O meu irmão é incapaz de fazer mal a alguém. O único problema que ele tem é ser fisicamente igual a mim", frisou Rodrigo Gonçalves. Segundo este responsável político, na origem desta briga está a aproximação das eleições distritais do PSD para Lisboa, agendadas para Dezembro.

"Sempre que há eleições, há confusões. Como eu sou representante dos autarcas sociais-democratas na distrital de Lisboa querem perseguir-se. Mas se é assim, que me ataquem a mim, mas deixem a minha família fora disto", disse o autarca de S. Domingos de Benfica.

Já para Domingos Pires, o que terá causado a sua agressão serão questões referentes não às eleições futuras mas às últimas autarquicas. E explica: "Eles [Rodrigo Gonçalves e Pedro dos Reis] não queriam que eu fosse reeleito. Como sabem que a Junta de Freguesia de Benfica tem uma situação financeira boa, queriam infiltrar cá pessoas da confiança deles".

Domingos Pires acrescenta: "Eles até escolheram pessoas para integrar a lista liderada por mim que não tiveram a minha aprovação". O autarca disse ainda que apresentou duas queixas no Departamento de Investigação e acção Penal por difamação.

Sobre esta "guerra", ao DN, o presidente da distrital do PSD por Lisboa, Carlos Carreiras, disse que esta é "uma questão de ordem pública e, como tal, lamentável". E mais: "Em democracia não há questões de ordem política que gerem violência física. Isto é uma questão de polícia e não de política."