Autarca de Lagos pede celeridade nas obras da praia de D.Ana

O presidente da Câmara de Lagos pediu ao Governo celeridade nas obras de alargamento e de consolidação das arribas na praia da D.Ana para evitar eventuais acidentes "com consequências graves".

"Há uma atitude de negligência grave do Estado para com os utilizadores desta praia e para com a cidade de Lagos e apelamos para que faça um pouco de justiça e proporcione as condições para que na época balnear de 2014 esteja concluída a intervenção na D.Ana", disse à agência Lusa Júlio Barroso, presidente da Câmara de Lagos.

A intervenção, prevista desde 1999 no Plano de Ordenamento da Orla Costeira (POOC) Vilamoura/Burgau, prevê a consolidação das arribas, para minimizar os efeitos da erosão, e o alargamento do areal em cerca de 25 metros, com a recarga de cerca de 150 mil metros cúbicos de areia.

Segundo Júlio Barroso, apesar da delimitação das várias zonas de risco, os banhistas "têm sido expostos às ameaças e aos perigos" de derrocada das arribas.

Até à conclusão das obras que vão permitir que os frequentadores daquela praia do concelho de Lagos fiquem fora das zonas de perigo, o autarca apelou às pessoas para que respeitem escrupulosamente a sinalização existente.

"As pessoas têm de ter consciência dos riscos que correm e cumprir as regras de segurança que lhes são indicadas", alertou o autarca.

O presidente da Câmara de Lagos lembrou que as arribas "estão frágeis, já ocorreram acidentes em praias e as pessoas devem obedecer aos sinais e respeitar os perímetros de segurança", lamentando o facto de existirem "pessoas que julgam que as questões de segurança não são para elas".

"Respeitem as indicações de segurança, pela vossa saúde", pediu o autarca, recordando os perigos que os banhistas estão sujeitos ao frequentarem praias com falésias em risco de derrocada.

A empreitada de alargamento e consolidação das arribas na praia da D.Ana, que ascende a cerca de dois milhões de euros, chegou a ser iniciada em 2009, mas foi suspensa poucos dias depois, devido a um erro no projeto.

Em declarações à Lusa, Sebastião Teixeira, diretor da Administração da Região Hidrográfica (ARH) do Algarve disse que a intervenção na praia da D.Ana deverá iniciar-se depois da época balnear.

"O financiamento comunitário para a concretização da obra está garantido, devendo a intervenção iniciar-se depois de terminada a época balnear", asseverou aquele responsável.

De acordo com dados da Agência Portuguesa do Ambiente, no último ano no Algarve registaram-se doze desmoronamentos de arribas, "número que se enquadra na média anual", dos quais resultaram o agravamento de instabilidade em três locais que necessitam de intervenção urgente.

Sebastião Teixeira indicou que as intervenções controladas vão decorrer nas praias de Maria Luísa e Santa Eulália, em Albufeira, e na praia do Camilo, em Lagos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG