Sucedem-se tributos ao jovem morto em Londres

Polícia não sabe o que levou ao homicídio de Ricardo Cunha, baleado na cabeça

A polícia ainda não fez detenções no caso do homicídio de um português no sábado à noite, numa zona a sul de Londres. Família e amigos não conseguem encontrar uma explicação para o crime. Ricardo Cunha, 23 anos, foi baleado na cabeça quando foi à janela de sua casa em Norwood. Ontem, pelas 20.00, realizou-se uma missa na Igreja Católica de Kennington e os amigos do jovem - que praticava futebol no Centro Desportivo e Cultural de Londres -, planeiam um jogo em sua homenagem e criaram uma página do Facebook.

O jovem é natural de Santa Maria, em Viseu, onde deverá ser enterrado junto ao pai, que faleceu há cerca de três anos.

Em Londres há 17 anos, Ricardo vivia com a mãe, o padrasto e uma irmã, que se mudaram temporariamente para casa de familiares. "Estamos todos em choque. Não conseguimos compreender como é que isto foi acontecer ao Ricardo. Era uma pessoa de família, calmo e gentil. Jogava futebol, ia trabalhar e voltava para casa, só isso", contou o tio, Carlos Amaral, ao jornal This is Local London.

A vizinhança está estupefacta. "Aqui não há problemas, é uma zona calma", declarou Kouku D'Almeida. Outro residente disse que pessoas ouviram um barulho semelhante a fogo-de-artifício e sentiram passos de alguém a correr antes da chegada da polícia.

O inquérito está a ser liderado por Nick Scola, do departamento de homicídios e criminalidade grave da polícia metropolitana, que ainda está a tentar "estabelecer o motivo para este crime".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG