Submarino Tridente aceite em definitivo por Portugal

O desempenho do submarino Tridente "ultrapassou" as expectativas da Marinha Portuguesa e vai ser aceite definitivamente pelo Estado português, após um ano em que passou um terço do tempo no mar, cumprindo duas missões e ajudando no combate ao narcotráfico.

"Neste primeiro ano do submarino Tridente, verificou-se uma elevada actividade que permitiu o cabal cumprimento de um exigente planeamento tendente à recepção qualitativa da plataforma e sistemas, face ao período de garantia vigente, e ao aprofundar do conhecimento na operação desta importante unidade naval", refere a Armada, numa resposta enviada à agência Lusa.

Aquele ramo das Forças Armadas, que recebeu em Agosto do ano passado o primeiro de dois submarinos comprados à Alemanha - apresentado oficialmente a 8 de Setembro - afirma que "em todas as missões confirmaram-se, e foram mesmo ultrapassadas, as expectativas relativas às capacidades desta excelente plataforma, tendo-se cumprido 125 dias de mar".

Neste momento, adianta a Marinha, o Tridente está nos estaleiros de Kiel "a efectuar a docagem de garantia", estando concluído já "o primeiro curso de especialização em submarinos, havendo militares especializados unicamente nesta classe de navios".

Ao longo deste último ano, participou em dois exercícios NATO no Mar Mediterrâneo e recolheu "diversa informação operacional, designadamente na área do combate ao narcotráfico", uma "tarefa de acrescida relevância nas actividades dos submarinos".

Nestas missões, realizaram-se ainda provas de mar aos sistemas de armas, com provas de lançamento de torpedos.

O "Arpão", segundo submarino que chegou este ano a Portugal, só verá completado o seu período de garantia em 2012.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG