Sócrates será ouvido sobre segredo de justiça

Antigo primeiro-ministro desloca-se a Lisboa para ser inquirido nos processos de violação do segredo de justiça abertos depois da sua detenção. O próprio tinha manifestado intenção de ser ouvido e até de se constituir como assistente

José Sócrates deverá ser ouvido na próxima segunda feira, não pelo juiz Carlos Alexandre, nem pelo procurador Rosário Teixeira, mas sim por um magistrado do Departamento de Investigação e Acção Penal de Lisboa (DIAP), que está a investigar as eventuais violações do segredo de justiça, que terão ocorrido no processo "Operação Marquês". Segundo informações recolhidas pelo DN, o DIAP de Lisboa ainda ponderou ouvir o antigo primeiro-ministro por carta precatória, isto é, na cadeia de Évora, mas depois considerou como importante o seu depoimento presencial.

José Sócrates, recorde-se, já tinha, através do seu advogado, manifestado a vontade de ser ouvido nos inquéritos abertos e até de se constituir como assistente. Porém, depois de uma entrevista à TVI, o advogado José Manuel Castro, que representa um antigo líder da extrema-direita, Mário Machado, anunciou a apresentação de uma queixa de violação do segredo de justiça contra Sócrates. Logo, o antigo primeiro-ministro, preso preventivamente desde finais de novembro do ano passado, até poderá ser ouvido neste processo em concreto.

José Sócrates é suspeito dos crimes de corrupção, fraude fiscal e branqueamento de capitais. O Ministério Público alega que Sócrates usufruiu de dinheiro de uma conta bancária titulada pelo seu amigo Carlos Santos Silva (também preso preventivamente), montantes que terão sido depositados pelo Grupo Lena como contrapartidas para os concursos públicos que ganhou durante os mandatos de Sócrates como primeiro-ministro.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG