Só quem escreveu um livro pode dar aulas de Educação Visual

Escolas estão a contratar diretamente para horários incompletos, mas alguns critérios são criticados até por diretores

Para dar aulas de Educação Visual ao ensino básico é preciso ter "obras publicadas, no regime de autor ou coautor, de carácter pedagógico ou científico". Este é um dos requisitos definidos por uma escola de Paços de Ferreira para contratar um professor num horário anual com sete horas semanais de aulas. Outra escola, em Odemira, precisa de alguém que tenha formação na disciplina de Espanhol para dar aulas de... Matemática.

Estranho? Para Arlindo Ferreira, professor e blogger que tem denunciado contratos suspeitos ou curiosos, alguns pedidos "parecem feitos para que a vaga seja ocupada por alguém conhecido".

Para os dois representantes das associações de diretores de escolas, estes problemas ficariam resolvidos se o Ministério da Educação e Ciência (MEC) tivesse aprovado as reconduções de contratados propostas pelas escolas no início do ano. Ou então, dando liberdade para contratar diretamente sem necessidade de concurso público.

Leia mais pormenores na edição impressa ou no e-paper do DN.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG