Setúbal aumenta praia no centro da cidade

A zona ribeirinha de Setúbal está ser alargada, num total de 60 metros, com a definitiva demolição de vários armazéns obsoletos, que durante décadas funcionaram como estaleiros navais na praia da Saúde, vedando o acesso ao rio Sado.

A operação é concluída esta semana, segundo a Câmara de Setúbal, com a "retirada dos edifícios e limpeza da área junto do Parque Urbano de Albarquel", o que permite prosseguir a estratégia de requalificação da frente ribeirinha da cidade, nas imediações da avenida Luísa Todi.

De acordo com a autarquia, a intervenção está centrada numa área com cerca de 60 metros lineares e incluiu uma "ação especial de remoção e tratamento de telhas de fibrocimento", estando estes trabalhos a ser acompanhados por uma equipa especializada. Os restantes materiais são encaminhados para reciclagem e vazadouro.

Ainda segundo a câmara, a demolição do conjunto de imóveis devolutos "materializa mais um passo na preparação daquela área da frente ribeirinha que acolherá o Terminal 7", que ambiciona traduzir-se num equipamento de promoção de atividades náuticas, acrescentando o município que a concretização desta operação tem como principal objetivo " devolver o usufruto de lazer daquela área à população e de aproximação da cidade ao rio".

Quando o "Terminal 7" abrir ao público, Setúbal terá concluído um "corredor marítimo" que promete mudar a face ribeirinha da cidade. O futuro edifício irá fazer a ligação entre o Parque Urbano de Albarquel, inaugurado há mais de cinco anos, e a praia da Saúde, recentemente requalificada. Não é permitido ir a banhos, mas a zona voltou a atrair os setubalenses para as margens do Sado, de dia e de noite.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG