Serpa Oliva diz que doentes com paramiloidose deviam fazer vígilia frente à indústria

O deputado do CDS-PP Serpa Oliva defendeu hoje que a vigília de doentes com paramiloidose frente ao Ministério da Saúde pela disponibilização do medicamento 'Tafamidis' em Portugal devia antes realizar-se junto da indústria farmacêutica.

"A vigília que estão a fazer a porta do Ministério da Saúde deviam estar a fazê-la à porta da indústria farmacêutica e talvez o problema se resolvesse mais depressa", disse o deputado do CDS-PP no Parlamento, respondendo a uma pergunta do deputado do PCP Jorge Machado.

Segundo João Serpa Oliva, "há um problema da parte da indústria farmacêutica", apesar do contrato para a disponibilização do medicamento estar "fechado".

"Isto é a verdade, tudo está fechado. Há algo que não está assinado em definitivo da parte da indústria farmacêutica, mas são pormenores, e a questão vai avançar", afirmou.

O deputado comunista Jorge Machado tinha pedido que Serpa Oliva se deixasse de "retórica" e que o problema daqueles doentes fosse efetivamente resolvido, porque não estão a tomar o medicamento e "um dia pode fazer a diferença para um transplante hepático".

Serpa Oliva sublinhou que é "um esforço muito grande, sob o ponto de vista financeiro", mas realçou que este Governo conseguiu encontrar verbas para satisfazer "todos os doentes portadores desse terrível flagelo que é a paramiloidose".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG