SEF suspende salário a ex-diretor detido e alega faltas por doença

Vistos gold Manuel Palos está em prisão domiciliária desde novembro. Lei atual não prevê justificação de faltas para esta situação

O ex-diretor nacional do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), Manuel Palos, em prisão domiciliária no âmbito do processo dos vistos gold, está em risco de perder o respetivo ordenado. E isto porque não se apresenta ao serviço há mais de 30 dias, segundo os serviços do SEF, que o notificaram de um "projeto de decisão", equiparando as suas faltas pelo cumprimento de uma medida de coação às por doença, tal como estão definidas na Lei Geral do Trabalho em Funções Pública.

Fonte do sindicato do SEF, do qual Manuel Palos é associado, confirmou ao DN a iniciativa dos serviços de avançar com a decisão de suspender o ordenado ao ex-diretor nacional (Palos apresentou a demissão do cargo na sequência do caso dos vistos dourados, mas continua a ser um quadro da função pública), assim como a argumentação utilizada.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Exclusivos