Sampaio da Nóvoa acredita num bom executivo, num bom programa e num bom Orçamento

É uma decisão que vejo com muita normalidade. Era a decisão certa, era a decisão inevitável", admitiu o candidato a Belém

O candidato presidencial Sampaio da Nóvoa disse hoje que a indigitação de António Costa como primeiro-ministro era certa e inevitável, acreditando existirem todas as condições para Portugal ter "um bom Governo, um bom programa e um bom orçamento".

"É uma decisão que vejo com muita normalidade. Era a decisão certa, era a decisão inevitável, ainda bem que ela foi tomada. E agora vamos fechar este capítulo da nossa vida política e vamos esperar e confiar que haja um bom Governo, com um bom programa de Governo, com um bom orçamento e que possamos retomar o curso normal das coisas e enfrentar os problemas graves que Portugal tem pela frente depois desta fase de indefinição que vivemos", disse Sampaio da Nóvoa aos jornalistas no final de um almoço com economistas em Lisboa.

O candidato presidencial disse ainda acreditar "profundamente nos partidos, nos acordos que se fazem em sede parlamentar e na boa-fé dos partidos", estando convicto de que há "todas as condições para ter um bom Governo, um bom programa e um bom orçamento".

O Presidente da República indicou hoje o secretário-geral do PS, António Costa, para primeiro-ministro, indica uma nota da Presidência da República.

Exclusivos

Premium

Livro

Antes delas... ninguém: mulheres que desafiaram o domínio masculino

As Primeiras - Pioneiras Portuguesas num Mundo de Homens é o livro com as biografias de 59 mulheres que se atreveram a entrar nas profissões só de homens. O DN desvenda-lhe aqui oito dessas histórias, da barrista Rosa Ramalho à calceteira Lurdes Baptista ou às 'Seis Marias' enfermeiras-paraqueditas, entre outras