Roubos por esticão e em ourivesarias subiram em 2011

Os crimes que mais subiram no ano passado em Portugal foram os roubos por esticão e a ourivesarias, revela o Relatório Anual de Segurança Interna (RASI), que assinala um aumento da criminalidade violenta no distrito de Setúbal.

De acordo com o RASI, hoje analisado pelo Conselho Superior de Segurança Interna, em 2011 houve mais 1.386 casos participados de roubos por esticão (mais 21,2%), mais 17 roubos em ourivesarias, o que representa um aumento de 14,2%, mais 130 roubos a residências (+ 7,3%) e mais 1.658 furtos em residências, uma subida de 6,2%.

O RASI mostra igualmente que houve um aumento de 3,4% (mais 106 ocorrências) na criminalidade violenta e grave no distrito de Setúbal e uma redução do mesmo tipo de criminalidade nos distritos de Lisboa (menos 1,6%) e do Porto (menos 2,1%).

Ainda quanto à criminalidade violenta, os crimes com maior relevo, em termos absolutos, continuam a ser o roubo na via pública (exceto por esticão), com 8.396 ocorrências, o roubo por esticão (7.918) e a resistência e coação sobre funcionário (1.744), que, no seu conjunto, representam quase 75% deste tipo de criminalidade.

Nas descidas, o RASI aponta o homicídio voluntário consumado, com menos 25 casos (menos 17,6 %), os roubos na via pública (exceto por esticão), com menos 1.079 casos (menos 11,4%), a violência doméstica, com menos 2.255 casos (menos 7,2 %), o furto de veículo motorizado, com menos 809 ocorrências (menos quatro por cento) e os crimes sexuais, com menos 25 casos (menos 1,1%).

O relatório dá igualmente conta de uma descida de 2,9% na criminalidade grupal e uma queda para quase metade (menos 49%) da delinquência juvenil, com menos 1.902 casos registados.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG