Revisão do plano de gestão das Desertas vai ser apresentado esta semana

As Ilhas Desertas estão classificadas como 'Zona Especial de Conservação' e 'Zona de Proteção Especial'

O relatório final do plano de ordenamento e gestão da reserva natural das Ilhas Desertas, no arquipélago da Madeira, que esteve em discussão pública, deve ser apresentado até o final desta semana, disse fonte do governo madeirense.

"Este plano tinha sete anos. A realidade e a dinâmica [das Ilhas Desertas] da envolvente mudaram. Começou a haver uma procura cada vez maior daquelas áreas para o turismo, a área protegida também foi aumentada, e havia que adequar", afirmou à agência Lusa o vice-presidente do Instituto das Florestas e Conservação da Natureza, Paulo Oliveira.

As Ilhas Desertas estão classificadas como 'Zona Especial de Conservação' e 'Zona de Proteção Especial', integrando, desta forma, a Rede Natura 2000.

Este subarquipélago da Madeira, constituído pelo Ilhéu Chão, a Deserta Grande e o Bugio, está situado a sudeste da ilha da Madeira, está classificado também como reserva biogenética pelo Conselho da Europa.

O Conselho de Governo Regional da Madeira, reunido em plenário em 05 de maio de 2016, resolveu determinar a revisão do Plano de Ordenamento e Gestão das Ilhas Desertas.

"Esta medida visou basicamente criar as condições para que o turismo científico e de natureza se desenvolva ali de forma regular e organizada", sublinhou Paulo Oliveira, acrescentando que "vem criar as condições para as regras serem atualizadas".

O responsável apontou que o prazo para a discussão pública terminou em 22 de janeiro, "mas ninguém deu contributos formais e concretos, além dos elementos diretamente envolvidos nestas matérias".

"Penso que no final da semana a comissão de acompanhamento já terá dado o seu parecer final" sobre o documento, declarou, acrescentando que o próximo passo é a "aprovação do plano e respetivo regulamento em Conselho do Governo da Madeira".

Paulo Oliveira destaca a importância deste plano, apontando que, em 2016, "cerca de 5.000 pessoas visitaram as Ilhas Desertas, distribuídas pelas seis empresas que organizam as viagens" aquela reserva natural.

"Este plano o que vem criar é as condições para regulamentar essa grande procura que estamos a ter", salientou, considerando que, "neste momento, o aumento da procura está a chegar a um patamar em que o número de visitantes terá de ser visto com cuidado".

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG