Reutilização pode poupar metade dos custos

Portugal pode vir a reutilizar alguns dispositivos médicos, à semelhança do que já é feito noutros países como os Estados Unidos ou Alemanha.

Portugal consume por ano 800 milhões de euros em dispositivos médicos. A reutilização significaria uma poupança de 50%. O tema esteve em debate no primeiro dia do XXXIII Congresso de Cardiologia, que começou hoje no Algarve, na mesa redonda "A reflexão a que a troika nos obriga".

"Portugal consome 800 milhões de euros em dispositivos médicos, muitos considerados de uso único. Quem o determina é a indústria que os faz. Hoje sabe-se que é possível alguns dispositivos voltarem a ser usados desde que sejam reprocessados, pois é isso que permite a avaliação da função, segurança, esterilidade. Esta é uma atividade que já existe há 20 anos nos Estados Unidos e que é feita há 10 anos na Alemanha. Espero que se venha a fazer em Portugal e acredito que será possível fazê-lo proximamente no nosso País. Isto traduz-se numa poupança de 50%", defendeu João Queiroz e Melo, professor na Universidade Católica no Porto.

A investigação já avaliou 12 mil dispositivos. "Um terço dos dispositivos investigados foram aceites para serem reprocessados. Falamos de cateteres para algumas intervenções ou tesouras para laparoscopia. É lógico que daqui a uns anos se possa vir a fazer o mesmo com outros dispositivos, como o pacemaker", acrescentou Queiroz e Melo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG