Reservas de água privadas estão esgotadas

As fracas precipitações acumuladas "começam a ameaçar seriamente a próxima campanha de regadio" no Alentejo, numa altura em que as reservas privadas de água estão esgotadas, segundo um relatório divulgado pelo Ministério da Agricultura.

O documento do grupo de trabalho de acompanhamento e avaliação dos impactos da seca 2012 baseia-se em informação meteorológica e hidrológica até 29 de fevereiro.

"Se nos sistemas de rega coletivos estatais a situação ainda não é preocupante, nas barragens privadas a situação é grave porque as reservas foram, de um modo geral, esgotadas na campanha anterior", lê-se.

Nas barragens de grande e média dimensão, o volume de armazenamento está entre os 50% e os 70% e nas de pequena dimensão e charcas o volume varia entre os 30% e os 50%.

Nesta região do país, os animais estão a ser criados principalmente com palha, feno e silagens colhidos e armazenados no ano agrícola passado e com as ramas das podas dos montados e olivais.

"Algumas explorações já esgotaram as suas reservas, estando desde há algum tempo a adquirir palhas e fenos no exterior, bem como alimentos compostos", refere o grupo de trabalho.

Há já alguns casos de palha comprada na região espanhola de Burgos.

Os bovinos, em particular, estão em má condição física e há o risco de "comprometer a criação dos bezerros que estão a ser amamentados, como também a fertilidade do efetivo".

Ao nível dos cereais de outono/inverno, se continuar sem chover, as "produções de grão e palha poderão estar comprometidas" e alguns produtores optaram por não semear ou não concluir sementeiras especialmente de trigo e cevada.

A produção de citrinos deve ser inferior à do ano anterior, tanto em quantidade, como em qualidade.

Os dados do final de fevereiro que serviram de base ao relatório do Ministério da Agricultura, Mar, Ambiente e Ordenamento do Território indicam que àquela data 68% do território continental estava em seca severa e 32% em seca extrema.

Entretanto, o Instituto de Meteorologia divulgou hoje o boletim quinzenal, referente ao ponto de situação a 15 de março, dando conta de que a seca extrema já atinge 53% do território continental, enquanto os restantes 47% estão em situação de seca severa.

O índice utilizado para medir a dimensão da seca tem nove níveis, que variam entre chuva extrema e seca extrema. Antes da seca extrema há a severa, a moderada e a fraca.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG