Refugiado do Mali localizado numa praia da Torreira

Indivíduo terá chegado a Portugal escondido numa embarcação de pesca, com o objetivo de fugir da guerra no Mali.

A GNR localizou um refugiado que se presume oriundo do Mail e que estava a pernoitar há vários dias na praia da Torreira, na Murtosa, encaminhando-o para uma casa de acolhimento, informou hoje aquela força de segurança.

Em comunicado, a GNR refere que teve conhecimento de que o homem, de 28 anos, estaria há alguns dias a dormir na praia da Torreira, no norte do distito de Aveiro, pelo que os militares encetaram diligências no intuito de o localizarem, o que veio a acontecer na noite da passada terça-feira.

"Fomos contactados por uma senhora que estaria a alimentar uma pessoa que não falava português e que estava a pernoitar nas dunas, sem qualquer tipo de condições", disse à Lusa o capitão Vítor Ribeiro, da GNR de Ovar.

De acordo com a fonte, o indivíduo não possuía qualquer documento de identificação e, segundo informações do mesmo, terá chegado a Portugal escondido numa embarcação de pesca, com o objetivo de fugir da guerra no Mali.

Dada a situação precária do refugiado, os militares diligenciaram no sentido de lhe ser prestado apoio com o fornecimento de alimentação e alojamento, considerando a vaga de frio que se fazia sentir.

Nesse sentido, foi contactada a linha de apoio à vítima e o refugiado foi encaminhado para uma casa de acolhimento, no Porto.

A agência Lusa está a tentar obter esclarecimentos adicionais sobre o caso junto do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras.

Exclusivos

Premium

Vida e Futuro

Formar médicos no privado? Nem a Católica passa no exame

Abertura de um novo curso de Medicina numa instituição superior privada volta a ser chumbada, mantendo o ensino restrito a sete universidades públicas que neste ano abriram 1441 vagas. O país está a formar médicos suficientes ou o número tem de aumentar? Ordem diz que não há falta de médicos, governo sustenta que "há necessidade de formação de um maior número" de profissionais.