Rede ajuda a ultrapassar mortes violentas

A Rede de Apoio aos Familiares e Amigos de Vítimas de Homicídio acompanha 104 pessoas no primeiro ano de atividade. Na maioria, são histórias de vida marcadas por mortes violentas.

A rede foi criada pela Associação Portuguesa de Apoio à Vítima no âmbito do projeto europeu Caronte, em colaboração com as autoridades policiais. Presta apoio psicológico, jurídico e social.

Ricardo é uma das pessoas que tenta seguir em frente com esta ajuda. Uma dor que resume: "Nem tenho um corpo para fazer o funeral do meu pai!"

Leia mais no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG