Quatro militares da GNR ouvidos quinta-feira por corrupção

(ATUALIZADO ÀS 19:40) A PSP de Cascais deteve esta quarta-feira de manhã quatro militares da GNR, suspeitos de receberem dinheiro de empresários donos de sucatas ilegais da Grande Lisboa.

Um sargento, dois cabos e um guarda, colocados na Direção de Investigação Criminal da GNR, foram detidos esta quarta-feira pela PSP de Cascais no cumprimento de mandados judiciais emitidos pelo Ministério Público, avançaram fontes policiais à agência Lusa. Serão ouvidos quinta-feira de manhã no tribunal de Cascais.

Os quatro militares da GNR, detidos fora de flagrante delito, são suspeitos de "receberem indevidamente" dinheiro de empresários ligados a sucatas ilegais que operam na Grande Lisboa, disse fonte policial à Lusa.

Os militares vão pernoitar "em instalações da GNR" - como determina o estatuto da própria força -, sendo levados durante a manhã de quinta-feira pela PSP ao Tribunal de Cascais para serem presentes a primeiro interrogatório judicial e sujeitos a eventuais medidas de coação.

Outra fonte policial esclareceu que os quatro elementos trabalham na Direção de Investigação Criminal da GNR, a qual partilhava as instalações com os restantes militares do destacamento de Alcabideche, sendo os dois serviços independentes um do outro.

Esta fonte acrescentou que a Direção de Investigação Criminal depende hierarquicamente do Comando Geral da GNR. A operação levada a cabo durante a manhã de hoje foi liderada pela PSP de Cascais e contou com a colaboração da GNR.

A operação foi realizada em toda a Grande Lisboa. A PSP de Lisboa remeteu mais informações para mais tarde.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG