Qual é a"mais antiga" feira do fumeiro do país?

Presunto, orelheira, salpicão, carne gorda, vinho e folar são alguns dos produtos locais que vão marcar presença na mais antiga feira do fumeiro de Portugal.

A aldeia de São João da Corveira, Valpaços, acolhe no domingo a "mais antiga" feira do fumeiro do país e onde a população local aproveita para escoar os produtos "caseiros e genuínos" que contribuem para o rendimento familiar.

O presidente da Junta de São João da Corveira, Hernâni Sousa, afirmou hoje que a feira de São Brás se realiza "há cerca de 200 anos" nesta freguesia do concelho de Valpaços, distrito de Vila Real.

Por isso mesmo, o autarca garante que se trata da "feira do fumeiro" mais antiga do país.

Não tem a dimensão de outros certames do género que se realizam, por exemplo, em Montalegre, Boticas, Chaves ou Vinhais, mas serve, segundo frisou, para ajudar no orçamento familiar dos pequenos produtores locais.

Trata-se de um rendimento extra para quem vive essencialmente da agricultura e num território onde a principal fonte de receita é a produção de castanha.

Na edição do ano passado, segundo o autarca, venderam-se "à volta de 250 mil euros de fumeiro e de presunto" neste certame.

Hernâni Sousa referiu que, no domingo, estarão instalados cerca de 30 stands no centro da aldeia, aos quais depois se juntam outros produtores que levam para venda pequenas quantias de produtos.

A prioridade é escoar os produtos locais, aqueles que "ainda se fazem à moda antiga, preservando os sabores genuínos", como o presunto, pés de porco, orelheira, carne gorda, salpicão, alheira e linguiça, e também o vinho, pão centeio ou o folar.

"Aqui industrialmente ninguém produz. O que acontece é que há pessoas que em vez de criarem um porco, criam dois, e um fica para vender na feira. É tudo artesanal", salientou.

Fátima Machado, desempregada de 30 anos, é uma das produtoras que vai participar no certame da sua freguesia.

Conjuntamente com a mãe criou dois porcos, um para consumir em casa e outro para transformar em fumeiro e presunto e vender na feira onde diz que se consegue fazer algum dinheiro para ajudar no orçamento familiar.

Fátima Machado garante que as gentes locais fazem questão de manter a tradição em São João da Corveira e diz que os seus produtos são "muito procurados", principalmente por visitantes do concelho que sabem que ali "encontram fumeiro de qualidade".

Na origem da feira de São Brás estão, de acordo com a história local, as ofertas que eram feitas à igreja.

"Antigamente havia a doença dos porcos, a esgana, e muitos morriam disso. São Brás é o protetor das doenças da garganta e então, por crença, as pessoas ofereciam os produtos ao santo", contou Hernâni Sousa.

Esses produtos começaram a ser vendidos em leilões e, mais tarde, outras pessoas começaram a juntar-se e a aproveitar também para vender os seus produtos.

A Feira de Fumeiro de São Braz é organizada pela Junta de Freguesia de São João da Corveira, com o apoio da Câmara de Valpaços e da empresa Empreendimentos Hidroelétricos do Alto Tâmega e Barroso (EHATB)

O presidente da Câmara de Valpaços, Amílcar Almeida, afirmou que "a promoção e a defesa dos produtos locais é uma das prioridades" do seu executivo.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG