PSP: homem detido no Pingo Doce "estava a causar desacatos"

Momento da detenção foi filmado e partilhado no Facebook. Autoridades alegam que o indivíduo demonstrou um "tratamento hostil e agressivo para com as funcionárias" da loja

Um vídeo com agentes da PSP a deter um homem que alegadamente tem "deficiência psíquica" foi partilhado por centenas de pessoas nas redes sociais durante a tarde de ontem, quarta-feira. De acordo com o autor da publicação, em causa estará a detenção feita numa loja Pingo Doce, em Frielas, Loures, por agentes da esquadra de Odivelas, que alegadamente terão usado força excessiva.

A PSP confirmou que o indivíduo "estava a causar desacatos", recusando-se a abandonar o local depois de o agente lhe ter pedido, de acordo com o jornal i.

O homem estava a empurrar "a cancela das caixas de pagamento, tinha um tratamento hostil e agressivo para com as funcionárias e retirava os produtos dos tapetes de outros clientes que se encontravam nas caixas", explicou fonte da PSP.

Ao DN, fonte da PSP acrescentou que o homem terá "arremessado com artigo contra uma funcionária" e que "em momento algum o agente agrediu o indivíduo, limitando-se a fazer aquilo que é o seu trabalho: manietá-lo para o imobilizar. Nunca recorreu ao bastão", sublinhou a mesma fonte.

Posteriormente, o agente "que se encontrava em serviço remunerado" no Pingo Doce, pediu ao homem para "abandonar o local", mas este continuou a comportar-se hostil e agressivamente.

"Atendendo à contínua perturbação, à recusa em abandonar o local ou em acatar qualquer ordem do agente e finalmente à recusa em se identificar, foi-lhe dada voz de detenção. Uma vez que o cidadão resistiu à algemagem, tal obrigou o agente e os seus colegas que entretanto chegaram em apoio, a utilizar a força para o imobilizar, de acordo com os procedimentos definidos", explicou a PSP.

O cidadão já foi notificado e será presente a tribunal esta quinta-feira.

Ao DN, fonte oficial Pingo Doce adiantou que está "em processo de averiguação interna", não tendo ainda "informação integral da situação". O que foi transmitido pela loja, adiantou, "é que o seu normal funcionamento estava a ser perturbado e que o agente terá procurado repor a ordem".

Segundo o homem que fez a publicação no Facebook, o detido terá decidido fazer uma reclamação e terá pedido ao agente para falar com o chefe deste. "O senhor agente como tem poder amplo da sociedade portuguesa diz 'quem manda aqui sou eu, eu é que sou polícia'", lia-se no post. Entretanto, o homem terá pedido a identificação ao agente, que respondeu solicitando que lhe mostrasse a sua. "O detido diz que não lhe dá e que quer falar com o chefe dele".

No vídeo, vê-se o agente a tentar imobilizar o homem, enquanto este oferece resistência. "Filmem, filmem isto", grita durante as filmagens, nas quais surgem várias pessoas a pedir compreensão com o indivíduo, uma vez que terá "deficiência psíquica". Num segundo vídeo, surgem dois polícias a tentar imobilizar o mesmo homem, tendo acabado por chamar um terceiro elemento.

Veja o vídeo, que mostra apenas os últimos momentos do incidente (não foi filmada a situação que alegadamente terá levado à imobilização do indivíduo)

Exclusivos

Premium

Legionela

Maioria das vítimas quer "alguma justiça" e indemnização do Estado

Cinco anos depois do surto de legionela que matou 12 pessoas e infetou mais de 400, em Vila Franca de Xira, a maioria das vítimas reclama por indemnização. "Queremos que se faça alguma justiça, porque nunca será completa", defende a associação das vítimas, no dia em que começa a fase de instrução do processo, no tribunal de Loures, que contempla apenas 73 casos.