PSD: só há diálogo com PS com "contraproposta construtiva"

O vice-presidente do PSD, Marco António Costa, critica o que classifica de "falta de empenho" do PS

Marco António Costa, vice-presidente do PSD, criticou esta tarde a atitude do PS, na linha do que tinha feito esta manhã o presidente do seu partido, Pedro Passos Coelho.

"Até agora não vimos uma linha do PS construtiva", sublinhou. "A coligação tem tido todo o empenho em estabelecer compromissos com o maior partido da oposição e gostaria de sentir o mesmo empenho a parte do PS", acrescentou.

O vice-presidente do PSD admitiu porém que, caso António Costa apresente uma "contraproposta construtiva" à proposta que a coligação entregou esta terça-feira no largo do Rato, o partido estará "sempre aberto ao diálogo". "O que não pode ser é outro simulacro de reunião igual às que temos sido arrastados nas últimas semanas", advertiu.

Marco António sublinhou a importância de "deixar bem expressa a ordem natural da democracia: quem venceu as eleições foi a coligação Portugal à Frente e é à coligação que cabe a responsabilidade de ser chamada a governar. Não tendo maioria, logo na noite eleitoral expressou a sua vontade de estabelecer um diálogo franco e aberto com o PS".

Este dirigente de topo do PSD classificou as conversações que o PS tem vindo a protagonizar com outros partidos, como o PCP e o BE, de "frenesim negocial" e de "xadrez altamente variável, contrariando mais de 41 anos de uma linha política".

Exclusivos