PSD: "Não viramos as costas às dificuldades"

O vice-presidente do PSD diz que agora se abre "o tempo da responsabilidade política do parlamento"

Em reação à decisão do Presidente daRepública, Marco António Costa sublinhou que a coligação não vai "virar as costas às dificuldades para manter a recuperação económica e o crescimento do emprego". Para o PSD, com a indigitação de Pedro Passos Coelho como primeiro-ministro "abre-se um novo tempo de responsabilidade política do parlamento e abre-se o tempo do respeito pelos resultados eleitorais". Marco António lembrou ainda que "O PS não quis dar qualquer oportunidade a um acordo com a coligação para a estabilidade do país".

Da parte do CDS-PP, o vice-presidente Nuno Melo elogiou o discurso de Cavaco Silva como "dos mais corajosos", e reiterou as palavras de Marco António Costa acerca do "novo ciclo que se abre no parlamemto", onde os deputados "façam o que tem de ser feito para confirmar a estabilidade no país, o investimento, o crescimento e o emprego".

Exclusivos