PSD não cede na candidatura de Nobre

Os sinais negativos de CDS e PS não fizeram o PSD mudar de ideias. A bancada laranja vai mesmo propor o nome de Fernando Nobre para a presidência da Assembleia da República.

O anúncio foi feito pelo líder do grupo parlamentar, Miguel Macedo, à saída da conferência de líderes que marcou para segunda-feira a primeira sessão do novo Parlamento.

Hoje em entrevista ao DN e TSF, António Capucho afirma que Passos Coelho não pode arriscar uma derrota no Parlamento e aconselha Fernando Nobre a desistir se perceber que não tem os votos necessários para ser eleito.

A candidatura de Nobre ficou fora do acordo de coligação assinado entre Passos Coelho e Paulo Portas. Mas o primeiro-ministro indigitado prometeu mesmo assim não voltar atrás na palavra dada e levar o nome do cabeça de lista ao Parlamento.

A conferência de líderes confirmou que na ausência de Jaime Gama, o presidente cessante, será Guilherme Silva a conduzir os trabalhos da primeira sessão.

À saída da reunião o deputado do PSD explicou que os trabalhos começam às 10:00 mas são interrompidos de seguida para a verificação dos poderes dos deputados. O plenário volta a reunir à tarde para a eleição do presidente e dos outros membros da mesa.

Guilherme Silva disse esperar que "tudo corra bem" com a candidatura de Nobre e recusou falar num plano B.

O deputado eleito pela Madeira - tal como Mota Amaral, presidente da Assembleia no tempo de Durão Barroso - têm sido apontados como alternativas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG